Olá, bem vindo(a), faça seu login ou cadastre-se.

Minha Conta

Minha Cesta

(19) 99932-1809

A saúde bucal dos bebes

09/12/2014 - Pela Dr. Gracia Costa Lopes


A saúde bucal dos bebesDa gestação ao final da primeira infância

Hoje sabemos que o grande medo das pessoas para enfrentar a cadeira do dentista vem de experiências negativas que tiveram quando crianças. Por esse motivo, o trabalho do dentista especialista em odontopediatria é tão importante. São eles os responsáveis pela higiene não só das crianças que já tem dentinhos, mas também dos bebês e das gestantes. Aliás, as mães devem procurar o dentista ainda durante a gravidez, para se informar sobre os cuidados que devem ter a partir do nascimento do seu bebê. Prevenção odontológica na vida intrauterina é um novo ramo de estudos odontológicos. Tem sido chamada de prénatal odontológico e visa acompanhar tanto a futura mamãe bem como o futuro bebê durante toda gravidez.

Doenças na boca da mãe podem afetar um bebê dentro da barriga.

Há inúmeras pesquisas que evidenciam a relação entre doenças bucais, partos prematuros, nascimentos de bebês de baixo peso e abortos.

Nas gestantes, as alterações hormonais, que elevam os níveis de progesterona e estrógeno, os enjoos e vômitos frequentes, e a mudança de hábitos alimentares aumentam a acidez bucal e favorecem o desenvolvimento das bactérias na boca. Assim, os dentes e toda a mucosa ficam mais vulneráveis às cáries e às infecções na gengiva e estruturas que sustentam os dentes. Lembrando que estar mais vulnerável não significa que a gestante terá a infecção e a doença. A inflamação ou infecção na boca apenas desencadeia-se na presença de placa bacteriana, independente de estar grávida ou não. E para não ter a infecção, não ter a cárie, não ter as bactérias é necessário evitá-las com uma excelente higiene bucal e alimentação balanceada.

A partir da 6ª semana gestacional e do 4º mês de vida intrauterina que a dentição e o paladar do bebê começam a desenvolver-se. Por isso, são nessas fases que os pais determinam o comportamento e a formação que os filhos terão no futuro. É aí que entra a educação alimentar e os hábitos saudáveis de higiene bucal. Fatores desfavoráveis durante a gravidez como carência nutricional, infecções, algumas medicações em excesso, etc… podem influenciar a má formação e mineralização dos dentes do futuro bebê. Por exemplo: o cálcio e o fósforo são fornecidos ao bebê através da alimentação da mãe. E para suprir as necessidades do feto, a grávida deve optar por alimentos ricos nestes minerais como queijo, leite e peixe. Assim, uma dieta equilibrada, rica em fósforo, cálcio e vitaminas A, C e D, nutre o bebê e proporciona um desenvolvimento mais saudável.

Medidas simples podem garantir a saúde bucal do bebê e a prevenção de doenças na boca. A mãe precisa saber, por exemplo, que o fato da criança nascer sem dentes não significa que não são necessários certos cuidados que ajudam a promover sua saúde bucal. A cavidade oral do bebê merece atenção e cuidados desde os primeiros dias de vida.

cuidados_dentes_2 cuidados_dentes_1cuidados_dentes_4cuidados_dentes_3cuidados_dentes_5

Para realizar a higiene bucal do bebê, basta usar a ponta de uma fronha molhada ou uma gaze umedecida para limpar sua boca uma vez ao dia, prevenindo uma infecção comum como o sapinho, candidíase ou ainda uma forma de cárie de grande virulência, conhecida como cárie de mamadeira. Há outros cuidados no contato com o bebê que devem ser tomados. A cadeia materna é fonte de possível transmissão de diversos grupos microbianos que habitam o meio bucal e que causam doenças. Os Estreptococos do Grupo Mutans (EGM) podem ser transmitidos pela saliva e, na maioria dos casos, a fonte de infecção é a mãe ou os avós. A transmissão destas bactérias se dá pelo contato salivar direto, principalmente ao beijar os bebês na boca, ou pelo uso comum de utensílios e talheres, e acontece com mais facilidade num período que vai dos 19 aos 31 meses, durante o qual o bebê está mais suscetível. Desta forma, é muito importante essa orientação simples e básica aos pais: não beijem seus filhos na boca e nem usem os mesmos talheres ou outros utensílios que eles, para evitar o risco de contaminação e desenvolvimento de lesões cariosas.

Mamães, visitem constantemente seu dentista, a consulta prénatal odontológica visa orientar a futura mãe com relação aos seguinte aspectos:

  1. principais problemas bucais

  2. dieta ideal

  3. higiene bucal

  4. fases de desenvolvimento dos dentes do bebê na gestação

  5. desenvolvimento do paladar do futuro bebê

  6. como ter uma gestação tranquila do ponto de vista odontológico

  7. orientações bucais em relação ao futuro bebê

  8. hábitos do futuro bebê e possíveis consequências (o hábito da chupeta, mamadeira, chupar o dedo, etc)

 

Mais notícias