Olá, bem vindo(a), faça seu login ou cadastre-se.

Minha Conta

Minha Cesta

(19) 99932-1809

2015 Ano internacional da luz

10/12/2014 - IAU, Light2015, Público.pt, SBPC


2015 Ano internacional da luzA Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) proclamou 2015 como o Ano Internacional da Luz, para celebrar a luz como matéria da ciência e do desenvolvimento tecnológico.

O objetivo é promover o conhecimento sobre o papel essencial que a luz desempenha em nossas vidas e assinalar, como refere a resolução aprovada pela Assembleia Geral da ONU, algumas datas científicas importantes, que coincidentemente fazem aniversários “redondos” neste ano.

Em 2015, completam-se 100 anos da teoria da relatividade geral, de Albert Einstein. E os 110 anos da explicação do efeito fotoelétrico, também de Einstein, que lhe valeu o Nobel da Física de 1921, anunciado no ano seguinte.

Comemora-se também os 50 anos da descoberta da radiação cósmica de fundo, a radiação emitida no Big Bang (ocorrido há 13.800 milhões de anos) e que banha todo o Universo.

Por esta descoberta, os norte-americanos Arno Penzias e Robert Wilson ganharam o Nobel da Física em 1978.

2015 marca o 1000o aniversário de surgimento de “Kitab al-Manazir”, o notável tratado de sete volumes sobre óptica escrito pelo grande cientista árabe Ibn al-Haytham. Sua influência nos experimentos e nas teorias da óptica é notável, e ele é considerado o pai da óptica moderna, da oftalmologia, da física experimental e da metodologia científica. Muitas foram as suas contribuições e de vários outros cientistas, durante a Idade de Ouro Islâmica.

“O Ano Internacional da Luz é uma oportunidade tremenda para garantir que os líderes políticos tomem consciência dos problemas que a tecnologia da luz pode resolver. Nós

temos agora uma oportunidade única para promover essa conscientização em âmbito mundial”, sublinhou o presidente da comissão para a celebração do Ano Internacional da Luz, John Dudley, que complementou: “A fotônica (ciência ligada ao processamento e à detecção de sinais de luz) fornece soluções de baixo custo para desafios que se colocam em várias áreas: energia, desenvolvimento sustentável, alterações climáticas, saúde, comunicações e agricultura. Por exemplo, soluções inovadoras na área da iluminação reduzem o consumo de energia e o impacto ambiental, ao mesmo tempo que minimizam a poluição luminosa, para que todos possamos apreciar a beleza do Universo num céu escuro”. “A luz nos dá a vida através da fotossíntese, deixa-nos ver para trás no tempo em direção ao Big Bang cósmico e nos ajuda a comunicar com outros seres vivos sencientes aqui na

Terra – e talvez com outros no espaço exterior, caso um dia os encontremos”, comentou o cientista da NASA John Mather, premiado com o Nobel da Física de 2006 (junto com George Smoot), pelos seus trabalhos no satélite Cobe, que permitiu ver em detalhe a radiação cósmica de fundo quando o Universo tinha 300 mil anos. Einstein estudou a luz ao desenvolver a teoria da relatividade, quando acreditou que as leis da natureza que nos dão a luz deveriam certamente ser verdadeiras, independentemente da velocidade a que a luz se desloque.

Mídias sociais, telefonemas de baixo custo, videoconferências com familiares e amigos – esses são três exemplos de como a internet permite que pessoas do mundo todo se sintam conectadas, de uma forma nunca antes possível na história. E toda essa tecnologia é baseada na luz! Dados de luz ultracurtos pulsam, propagando-se em pequenas fibras ópticas com a largura de um fio de cabelo humano, que criaram a infraestrutura das comunicações modernas e a internet que utilizamos.

A Luz é nossa fonte primordial de energia, então teremos em 2015 a oportunidade de conhecermos seus múltiplos aspectos.

Fonte: IAU, Light2015, Público.pt, SBPC

 

Mais notícias